Trabalhos

Esse post é meio que um mini e pseudo currículo meu. Vou até abrir uma página separada para falar sobre meus trampos depois de publicá-lo.

O povo que entra aqui sabe do meu trabalho. Músico de profissão, paixão e carteirinha (gah!), já trabalhei em diversas áreas e coisas que poderia trabalhar nessa minha área.

A princípio, fui professor de música. Comecei lecionando violão popular somente. Depois comecei a ensinar o violão clássico também. Depois, contrabaixo elétrico. Aí parti pra teoria e percepção musical. Finalmente, fui professor do cursinho preparatório pro vestibular de música da UFMS. Ufs! Aí estão resumidos 6 anos da minha carreira profissional! Hehehe!
Até hoje leciono ainda. Mas estou com uma quantidade BEM reduzida de alunos, e por vontade própria. É estressante cuidar e planejar as aulas de 40 alunos! 5 tá bom! Hehehe!
O mais legal de dar aula é quando você se depara com coisas como esse vídeo… O baixista ali é meu aluno, e vê-lo tocando é emocionante. E pensar que eu ensinei as primeiras notas pro cara…

(OK… médicos e suas piadinhas internas, mas que ficou bacana, ficou!)

Além disso, sou músico atuante também, rapá! Ééééééé! Tá achando que eu fico só nos blá-blá-blás? Que nada! Sou integrante da banda Jennifer Magnética, baixista e vocalista da mesma. Veja um videoteco de la banda!

E também já toquei com gente de renome nacional, internacional e, quiçá, universal, tal qual Wander Wildner e The Beatles (maníacos, banda cover daqui de CG… hehehe!)

Já fiz trilha sonora de filmes que não foram lançados e arranjos tocados pela Orquestra Sinfônica Municipal de Campo Grande. Ah, sim! Eu trabalho nessa orquestra. E, por sinal, sou maestro assistente dela!

Pra terminar, sou daqueles caras que, se alguém chega pra mim e diz: “ow, preciso de tal coisa e acho que você pode fazer!”, bora lá, vamos conversar a respeito. De formatar computador a tocar samba numa festa hardcore, o negócio é trabalhar!

Anúncios

Pudim de Leite Condensado

Esse fim de semana foi produtivo e engrandecedor. Entre coisas boas e ruins, o resultado final foi positivo. Ainda que uma leve tristeza esteja em meu coração, a paz reina novamente – e dessa vez com um gostinho melhor na boca e no estômago! Aprendi a fazer pudim de leite condensado ontem! Super fácil, gostoso e rápido de fazer. Segue a receita (retirada do site Tudo Gostoso com algumas modificações já por conta própria):


Ingredientes:

  • 3 ovos
  • 1 lata de leite moça
  • 1 medida da lata de leite moça de leite
  • 3 colheres de açúcar

Modo de preparo:

  1. Ligue o forno pra aquecer por 10 minutos fogo baixo;
  2. Faça uma calda com o açúcar (derreta o açúcar numa panela com um quase nada de água). Ainda quente, jogue na forma redonda com furo no meio e deixe esfriar. Ela vai virar uma pedra na forma – não se preocupe, é normal;
  3. Bata no liquidificador os ovos, o leite moça e o leite por 3 minutos;
  4. Coloque o pudim sobre a calda dentro da forma;
  5. Leve ao forno. Não precisa ser em banho maria. Espere ficar moreninho em cima, em torno de 40 minutos;
  6. Aguarde esfriar e leve a geladeira;
  7. Sirva gelado.

Fácil, não? Se até eu consegui fazer e ficou gostoso, por que não vocês?

Jennifer Magnética e meus shows “purfa”

Amanhã rola mais uma Bigornada com a Jennifer Magnética!

OK… glossário mode ON:

Bigornada: Festa mensal da Bigorna Produções, produtora aqui de CG fundada, controlada, encabeçada e dirigida pelo trio Letz Spíndola, Jean Albernaz e Maíra Espíndola (no relations with the first one). Até hoje, sempre foi realizada no Bar Fly, templo do rock campo-grandense. Geralmente são três bandas locais + uma banda de fora, mas agora em setembro serão Jennifer Magnética (leia abaixo) e Facas Voadoras de bandas locais e mais duas bandas de fora, a Tonighters (PR/SP) e a The Razorblades (SP).

Jennifer Magnética: Uma biscate travecona que vive rodando bolsinha… NOT! Falando sério, Jennifer Magnética é o nome da minha banda, já com dois CDs gravados – Placenta (2007) e Licopeno (2008) -, em vias da gravação do terceiro, e cujas informações, músicas, fotos e outras firulinhas mais vocês podem encontrar no site oficial: www.jennifermagnetica.com.br.

Enfim… festa anunciada, banda apresentada! Espero que vocês gostem! Seguindo com o post…

Tou empolgado pro ensaio de hoje à noite. Estamos mexendo no show da banda, pra começar de um jeito diferente e terminar na pauleira mais foda que antes. Já sei que começaremos com Personal Jesus (na versão do Johnny Cash) e emendaremos Barbitúricos Blues, música do nosso primeiro álbum. Provavelmente vamos encerrar com uma música nova, chamada Malditos Cromossomos (que, com esse nome, só podia ser coisa do Jean mesmo… hehe!)

No domingo, vou tocar com o Beatles Maníacos numa festa particular. E no dia 25, com o Dimitri Pellz num show em Paranaíba. Uia! Né que tão me chamando mesmo pra tocar com o povo? Depois do Wander Wildner, já toquei com o Haiwanna, com o Beatles Maníacos… acho que vou investir nessa minha carreira de “free-lancer”. Ganho uma grana legal e me divirto tocando uns sons diferentes! Só espero que nunca me chamem pra tocar sertanejo ou pagode. Minha vontade de ganhar grana não é TÃO grande assim (pelo menos não por enquanto… hehe!).

Só pra terminar, ouçam Jennifer Magnética e Dimitri Pellz!

Diário de bordo – data estelar 13447.3

“Hello, world!” É assim que o WordPress lhe diz “seja bem-vindo” quando você cria um blog. E, querendo ou não, é também a forma como eu me comunico com todos em meus pensamentos muitas vezes bilíngues (e “bilíngues” não tem mais trema, graças à reforma ortográfica!).

Então, nesse momento, minha frase para os leitores desavisados que caíram nesse lugar de pára-quedas em código binário é “Olá, mundo! Sejam todos os visitantes bem-vindos ao meu humilde espaço para pensar e falar”.

Por diversas vezes comecei um blog, e sempre parei. No entanto, minha abordagem agora será um pouco diferente. Seguindo o exemplo do ótimo blog da minha amiga Cláudia, o QuebeCoisa, resolvi postar coisas do dia-a-dia, ao invés de ficar naquelas pseudo-filosofias baratas de botequim fim-de-carreira que eu insistia em tentar fazer. Tosco eu, não?

Falando no blog da Cláu, ela fez um post muito massa sobre quando toquei com o Wander Wildner no mês passado. Vale a pena ler: http://www.quebecoisa.com/2009/08/eu-queria-uma-camiseta-escrita-wander.html. Valeu, Cláudia e Zé! Fiquei emocionado pacas!

Bom… hora de almoçar. Beijos a todos!